fbpx

Contabilidade consultiva é a morte das empresas?

Contabilidade consultiva é a morte das empresas?

Ultimamente tem vigorado um assunto no meio contábil e corporativo que é a “contabilidade consultiva”. Esse termo tem sido tratado como uma “ressignificação” da contabilidade e almeja ser uma nova formatação de serviço mais adequada às dinâmicas atuais do mercado. E muita gente tem se assustado, inclusive achando que pode significar a morte das empresas contábeis. Mas será que é isso mesmo?

Calma, não é preciso pânico. A contabilidade como conhecemos sempre vai existir. Até porque existem clientes que necessitam de um serviço “menos tecnológico”, por assim dizer. O crescimento e a visão além do alcance nos negócios trazem um ônus que poucos estão dispostos a arcar.

Nesse cenário, o que acontece é que quem deseja crescer a ponto de estourar de tanto sucesso precisa se mexer e acompanhar a transformação digital, tão presente hoje na contabilidade. Porque, hoje, ou você vai para frente ou vai para trás. E quem vai para trás corre o sério risco de desaparecer – ou, em outras palavras menos alarmistas, será engolido pelo mercado.

O que é contabilidade consultiva

O termo surgiu para ajudar a definir os novos comportamentos que criados com o advento das tecnologias tributárias a partir da década de 2000 (com o início do projeto SPED), além de atestar novo pensamento progressista do pensamento contábil. Dessa forma, contabilidade consultiva é o processo pelo qual as informações contábeis são, de fato, utilizadas pelos gestores da empresa no processo de tomada de decisão.

Contabilidade consultiva não é um modelo de negócio, tal como a contabilidade online ou a digital, mas acontece quando os usuários e clientes dos serviços contábeis se valem desses dados para analisar e decidir sobre a evolução dos negócios.

Em suma, essa nova vertente pode ser definida como a soma da inteligência empresarial, da capacidade de interpretação das informações e da atuação estratégica em prol das empresas, da sociedade e da economia como um todo.

É senso comum que as tarefas rotineiras de registros de notas e apuração dos dados contábeis vêm sendo substituídas pela gestão dos dados e informações. E ninguém é melhor que o contador para executar essa tarefa. Ele pode indicar quais processos e ferramentas tecnológicas são os mais adequados para o cliente lidar com o grande volume de dados existentes na contabilidade atual.

A tecnologia a serviço da contabilidade

Como dissemos, na virada do milênio teve início uma transformação digital por parte do governo, que impactou a maneira como a contabilidade se comportava perante as demandas fiscais e tributárias. O uso de ferramentas tecnológicas passou a ser cada vez mais necessário para manter o compliance.

Com o aumento do poder de fiscalização das entidades governamentais, um verdadeiro “Big Brother” fiscal, as entregas das obrigações acessórias mudou radicalmente, assim como a maneira de lidar com a operação e necessidades dos clientes. As empresas mudaram a mentalidade e se modernizaram, sendo que as contabilidades também precisaram mudar para acompanhar esse ritmo.

Ter informações seguras e validadas, desde a chegada do documento até a escrituração final, passou a ser primordial. Não há mais tempo para erros. E é por causa disso que a Auditto se tornou referência no mercado: por entender a necessidade do cliente e entregar a solução como nenhuma outra faz.

A automatização de processos através da transformação digital, que oferece ferramentas tecnológicas que melhoram todos os processos, é que permite a uma empresa exercer a contabilidade consultiva.

Ter um sistema que faça o apontamento e a correção dos dados para que o erro seja mitigado faz com que o contador tenha mais tempo para atender melhor seu cliente. Isso agrega valor ao serviço e torna a contabilidade uma verdadeira ferramenta de tomada de decisão. Isso só é possível através da tecnologia.

Na maneira tradicional, a percepção do erro nas obrigações contábeis acaba acontecendo muito tardiamente. Com um sistema automatizado, como o Auditto, isso é detectado rapidamente. A grande vantagem para uma contabilidade é dispor de um sistema com tecnologia embarcada, que leia, processe e consolide os dados para justamente o empresário focar na tomada de decisão.

Com isso o contador consegue manter sua apuração e seu trabalho em tempo real, facilitando todo o processo de fechamento para estar em dia com o governo.

Operação e estratégia no mesmo pacote

Nessa mudança de mentalidade, a contabilidade passou a ser, objetivamente, voltada à saúde financeira das empresas. Assim, a contabilidade consultiva se torna uma ferramenta preventiva essencial para o empresário sair do operacional e avançar na gestão do empreendimento.

Isso põe por terra a cultura de que o escritório contábil é apenas um “mal necessário” perante a burocracia. Claro, o trabalho de manutenção da vida de uma empresa não para. Balancete, elaboração de livros, guias de pagamento, fluxo de caixa, fechamento de ponto e outras obrigações não podem ser negligenciadas.

Mas a contabilidade consultiva traz o melhor dos mundos, unindo a operação rotineira com visão estratégica, oferecendo uma análise e interpretação dos dados que de fato beneficiam a parte financeira, que é o coração de um empreendimento.

A partir da contabilidade consultiva os gestores têm uma visão mais ampla a partir dos relatórios contábeis. E um sistema que reúna essas características permite a diminuição de tempo de processamento de documentos e informações.

Ou seja, uma contabilidade que forneça processos gerenciais bem elaborados garante a qualidade e a segurança do cliente, que tem dados confiáveis em sua base, propiciando resultados efetivos e, consequentemente, sucesso empresarial.

E isso só é possível mediante o auxílio de um sistema com alta tecnologia, que organize a gestão fiscal de modo que o contador, com a mesma equipe, possa atender o cliente com mais eficiência em um tempo menor.

Conclusão

Uma empresa sem processos de gestão e controle está fadada ao fracasso. Mais do que nunca o contador passa a ser um parceiro valioso que ajuda o empreendedor a encontrar oportunidades de economizar tempo e dinheiro. E mais do que isso, é quem irá implantar boas práticas na gestão fiscal e financeira.

Dessa forma, a contabilidade consultiva precisa estar nos planos de crescimento do cliente, e também do escritório contábil. O uso de inteligência artificial, machine learning e o aumento da capacidade de análise dos sistemas contábeis veio para ficar. E quem não acompanhar o movimento ao seu redor precisará se contentar com as migalhas do banquete do sucesso.

E aí? Está pronto para implementar a contabilidade consultiva na sua empresa? E você, contador, está preparado para apresentar uma nova tecnologia ao seu cliente?

 

Por Atracto (Colaboração: Fabrício  Moura, diretor técnico)

Post by Saulo Novaes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
0
image
https://auditto.com.br/wp-content/themes/hazel/
https://auditto.com.br/
#26ade4
style1
paged
Carregando...
/var/www/auditto/
#
on
none
loading
#
Sort Gallery
on
no
yes
off
off
off