fbpx

Robôs: o futuro ou o presente da contabilidade?

Robôs: o futuro ou o presente da contabilidade?

A automação de tarefas e processos hoje é indissociável do trabalho. Quem trabalha com comércio, produtos, serviços e um sem-número de atividades se depara com alguma etapa automatizada. Principalmente os serviços contábeis. Contabilidade que não usa robôs nas tarefas diárias já sai perdendo. Mas isso é o futuro ou já é uma realidade nas empresas? A contabilidade digital é uma tendência ou apenas uma “moda”?

Antes de mergulhar a fundo na questão, vamos voltar um pouco ao passado e ver as origens da robotização para entender o quanto esse aspecto da tecnologia se fundiu às atividades diárias de hoje. 

As origens da robotização

A robotização é o processo que envolve a automação de tarefas que já foram executadas por humanos. Esse termo deriva da palavra “robota”, que significa trabalho forçado ou escravo.

No início da era da globalização, a robotização de processos industriais começou a ser usada em larga escala com o uso de computadores e robôs para a fabricação de vários produtos. A cada ano, aproximadamente 85 mil novos robôs são introduzidos nas indústrias do planeta, segundo dados divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU). Estima-se que existam mais de 800 mil robôs atuando, gerando força de trabalho suficiente para substituir cerca de dois milhões de pessoas.  Esse processo tem diversos objetivos, sendo que um dos principais deles é a maximização da produção.

E é fato que a tecnologia robótica e de inteligência artificial faz parte de nossos negócios e cultura há muito tempo. Embora parte dessa tecnologia tenha sido incrivelmente bem-sucedida, outras foram falhas completas. Muitas dessas “falhas” anteriores realmente têm e continuarão a levar ao futuro da IA ​​e da tecnologia robótica na força de trabalho. No entanto, para melhor visualizar o estado atual dessa tecnologia, é uma boa ideia examinar primeiro algumas das falhas mais recentes.

Uma delas é robôs escritores. Trabalhos básicos de redação e mídia social já são feitos por robôs. Só que, em grande parte, eles não estão necessariamente fazendo um bom trabalho. Um exemplo é o Tay, da Microsoft. O Twitterbot foi projetado para usar a interface de usuários reais do Twitter a fim de enviar tweets relacionáveis. No entanto, como as pessoas na internet às vezes não são tão boas (para adjetivar suavemente), a evolução de Tay em uma das experiências foi desastrosa para a Microsoft: Tay rapidamente se transformou em um personagem muito racista! Outra invenção da Microsoft é o CaptionBot, para legendar imagens automaticamente. O único problema é que tem sido muito ruim nisso, com descrições que às vezes não têm nada a ver com a imagem…

E teve ainda um restaurante na China que passou a usar uma equipe de garçons robóticos para economizar no custo dos garçons humanos. Cada robô custou quase 10 mil dólares para operar se movendo pelo ambiente, recebendo pedidos e até conversar com os clientes de forma limitada. Só que esses robôs não podiam carregar itens mais pesados, como pratos de comida, encher o copo do cliente ou se comunicar adequadamente, inclusive errando pedidos. Resultado: garçons humanos eram mais baratos e o projeto foi um fracasso tão retumbante que o estabelecimento fechou. 

Porém, para cada falha dessas, você pode encontrar muito mais histórias de sucesso. A tecnologia da robotização e automação de processos parece estar presente em todos os lugares do ambiente de negócios atual, de linhas de produção a computadores e caixas automáticos em supermercados. E uma dessas áreas é justamente a contabilidade!

No setor contábil, por exemplo, o robô substitui o contador em várias tarefas, mas ainda é preciso um profissional experiente para ler, interpretar e tomar decisões com os dados e números fornecidos pelos robôs. E hoje, sem esse auxílio, seria impossível para um contador concluir a tarefa de manter o compliance dos seus clientes. Ou seja, a robotização é uma “mão na roda”, mas sem estar aliada a uma inteligência humana é arriscado.

O compliance pela robotização

Estar em conformidade com as regras fiscais e tributárias no Brasil requer muito trabalho e esforço. E isso ficou mais fácil com adoção de práticas de RPA nas organizações. Explicando: RPA é a sigla em inglês para Automação de Processos por Robótica. Porém, nesse caso falamos de automação por uso de softwares — note que colocamos software no plural (o que não existe na palavra original em inglês, mas aqui cabe essa “adaptação”).

Uma das principais características que encontramos ao implementar projetos de RPA é que podemos conectar ou acessar vários tipos de software, realizar cálculos ou cruzamentos e entregar o resultado disso tudo em outra base de dados, enviar um e-mail, sms ou alerta em um app.

O RPA é usado principalmente em trabalhos repetitivos como leitura e digitação; onde exista grande volume de tarefas e rotinas e etapas e responsáveis pré-determinados; onde existam regras lógicas que permitam decisão, validação e conferência e a necessidade de checagem e monitoramento constantes ou mesmo em atividades que demandam curto prazo de resposta e alto grau de risco.

Viu alguma rotina aí parecida com o trabalho de uma contabilidade? Leitura de dados, monitoramento, apuração de impostos e outras tarefas que visam manter o compliance só são possíveis hoje pela robotização. Sem isso demoraríamos muito mais tempo para conseguir entregar todos os documentos e informações fiscais, apurar créditos e benefícios e manter uma empresa em conformidade.

Presente ou futuro?

A tecnologia hoje está em tudo. E ainda há espaço para expandir esse território de dominação. Isso também passa pela contabilidade. 

Mas, seguramente podemos afirmar que a automação de processos robóticos (RPA) não é mais o futuro da controladoria e contabilidade; está rapidamente se tornando o presente. A capacidade da RPA de executar trabalhos semelhantes a humanos sem erros, combinada com seus recursos fundamentais de suporte à inteligência artificial (IA) e outras inovações posteriores, fazem dele uma parte crítica do conjunto de prioridades de hoje para o CFO, o gestor e o contador.

Para continuar a oferecer integridade financeira e melhoria contínua em um mundo automatizado, os profissionais do setor contábil devem expandir o escopo dos controles internos, buscar novas áreas de ineficiência do processo e desenvolver competências internas de tecnologia e conhecimento em suas equipes.

O melhor caminho é ser um aliado da robotização! Esta não é uma área que precisa ser dominada, é uma habilidade que precisa ser desenvolvida. Se você não dominar esse universo, como você poderá tomar decisões assertivas e negociar junto ao seus fornecedores e clientes?

“Robôs estão roubando nossos empregos!” É uma frase que você provavelmente já ouviu antes em algum lugar, seja na internet ou numa conversa entre colegas da área. Mas é verdade? Para realmente preparar e planejar o futuro da sua empresa e o seu futuro na empresa, é uma pergunta que você pode ter que responder.

Ter tarefas que podem ser automatizadas executadas pela Inteligência Artificial apenas deixa mais assertivo o tempo dos funcionários, que podem se concentrar em tarefas mais interessantes, como inclusive já falamos aqui. Os contadores devem repensar seu papel no meio, usando a tecnologia a seu favor para ser um verdadeiro consultor do cliente, ajudando na tomada de decisão com dados que são fornecidos por robôs, interpretando e encontrando soluções através da tecnologia.

No entanto, sabemos que alguns trabalhos totalmente automatizados podem eventualmente ser extintos. Quer um exemplo? O Uber! Os motoristas do Uber se reportam a um sistema automatizado para encontrar as pessoas que procuram uma corrida pelo aplicativo da empresa. À medida que os carros autônomos vêm se tornando mais seguros e confiáveis, o Uber provavelmente eliminará a necessidade de contratar motoristas. De fato, isso é algo em que eles já estão trabalhando. Mas isso não irá acontecer da noite para o dia.

Em outras palavras, há muito tempo para os profissionais assustados aprenderem novas habilidades que exigem mais raciocínio cognitivo e que têm menos probabilidade de serem assumidas por uma máquina. Outros enfatizam a probabilidade de perda de certos tipos de emprego e o usam para mostrar a importância em investir em treinamento vocacional para que os trabalhadores deslocados não precisem ter medo de cair completamente da força de trabalho.

E isso recai sobre a contabilidade! Aprender a usar aquela ferramenta que fazia o seu trabalho a seu favor pode ser a chave para você se tornar um gestor contábil, pensando mais à frente do simples resultados, ampliando seu escopo de atuação e se tornando o porto seguro do seu cliente, que irá aceitar suas ideias e sugestões. Isso resulta em segurança, melhoria das relações de trabalho e compliance!

O que tudo isso mostra, porém, é o seguinte: o local de trabalho do futuro terá cada vez mais essa tecnologia. E, apesar de ser o futuro, isso já é o presente!

Fazendo um robô trabalhar por mim

O futuro está chegando? Para nós, já chegou. O futuro é agora! E talvez seja hora de começar a considerar como você pode implementar ou começar a aderir a essa tecnologia para facilitar a produtividade e otimizar os resultados. Como qualquer nova iniciativa, isso começa com um processo de planejamento estratégico completo e termina com a execução efetiva desses planos.

Assim como qualquer aspecto do seu negócio, agregar a robotização às suas rotinas de trabalho exige muito planejamento e estratégia, PRINCIPALMENTE EM CONTABILIDADE, se você deseja que ele conduza aos resultados desejados. 

Ao considerar contar com esse tipo de tecnologia na sua empresa, pense e responda às seguintes perguntas:

– O que exatamente eu quero que ele realize?
– Como isso se encaixa nos demais objetivos de negócios?
– Onde isso se encaixa no meu plano estratégico?
– Quais outros planos precisarei atualizar para envolver essa tecnologia?
– Que tarefas serão transferidas dos trabalhadores e atribuídas à robotização?
– Quem será o responsável pelo gerenciamento e monitoramento da tecnologia?
– Como mediremos o sucesso da integração robótica e de IA depois de implementada?

Basicamente, pense nas etapas que você precisa executar para criar com êxito qualquer plano ou estratégia e faça isso antes de adicionar um robô à sua força de trabalho.

A adição de tecnologia de automação de processos e de IA ao seu local de trabalho pode ser incrivelmente útil para tornar sua empresa mais tranquila. Mas, como em todos os aspectos do seu negócio, a robotização no seu local de trabalho será executada com muito mais eficiência e produtividade se você planejar um uso e depois executar tarefas com base nesse plano. 

E isso, amigo, a Auditto faz por você como nenhuma outra! Ninguém no mercado tem uma plataforma de automação de processos contábeis como a Auditto!

Soluções de planejamento estratégico e execução como a nossa ajudam a planejar, gerenciar, colaborar e relatar as iniciativas estratégicas importantes para sua organização. Para obter mais informações sobre como as ferramentas de estratégia e execução para contabilidades podem ajudá-lo a alinhar as equipes e empresas em torno de seus objetivos, entre em contato conosco agora mesmo!

Por Atracto

Post by Saulo Novaes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
0
image
https://auditto.com.br/wp-content/themes/hazel/
https://auditto.com.br/
#26ade4
style1
paged
Carregando...
/var/www/auditto/
#
on
none
loading
#
Sort Gallery
on
no
yes
off
off
off